Ir para o conteúdo

Câmara Municipal de Alpiarça - Município de Alpiarça

Página principal

PEÇA DO MÊS DE AGOSTO DE 2018

.

.

.

.

Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça
Peça do mês – Agosto
Paisagem Marítima
Óleo sobre madeira
António Ramalho
Séc. XIX
73,5 cm x 56,5 cm
CP – MA
Inv. Nº 84.747

A obra que damos a conhecer neste mês de Agosto é uma paisagem marítima da autoria de António Ramalho. Esta Paisagem representa a Praia da Boa Nova, ao norte do molhe de Leixões. Esta é uma praia rochosa, com pouco areal, e é essencialmente frequentada por habitantes das localidades vizinhas.

O pintor António Monteiro Ramalho Júnior nasceu em Barqueiros (Barcelos), em 1858. Muito jovem, foi para a cidade do Porto onde começou a trabalhar como moço de recados numa mercearia.

Mais tarde, mudou-se para Lisboa onde frequentou a Real Academia de Bellas Artes, tendo sido discípulo de Tomás da Anunciação e Silva Porto. No ano de 1879, concorreu a uma vaga de bolseiro, mas foi vencido por Henrique Pousão. No ano seguinte, juntamente com Columbano, organizou uma exposição na Associação de Jornalistas e Homens de Letras, em Lisboa. Em 1882, António Ramalho vai finalmente estudar para Paris, onde se torna discípulo do pintor francês Alexandre Cabanel. Este dedicou-se principalmente a assuntos religiosos, históricos, mitológicas, mas também retratos, composições decorativas e paisagens.

António Ramalho estreou-se no Salão de Paris, com a tela Chez mon voisin (O Lanterneiro). Ainda em Paris, continua a enviar quadros para as exposições do Grupo do Leão, composto por jovens artistas e que era responsável pela divulgação e sucesso da pintura naturalista em Portugal. Envia também ilustrações para as revistas O Occidente e A Crónica Ilustrada. Em 1884, regressa a Portugal, e alcança o seu maior sucesso enquanto decorador colaborando com João Vaz. Foi precisamente enquanto decorador que António Ramalho vem a falecer, a 30 de Setembro de 1916. Era neste âmbito que se encontrava a realizar pinturas decorativas no Palácio Sotto Mayor, na Figueira da Foz.

Na obra Paisagem Marítima, podemos observar um grande movimento de ondas sobre as rochas.
A moldura em madeira e gesso dourado é trabalhada e adornada com frisos de pérolas, arabescos, motivos florais e folhas de oliveira.

Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça