Ir para o conteúdo

Câmara Municipal de Alpiarça - Município de Alpiarça

Página principal

PEÇA DO MÊS DE JANEIRO DE 2019

.


Peça do mês – Janeiro
Fotografia de José Relvas

Fotografia

Carlos Relvas

Século XIX

CP – MA

Inv. Nº F.417

.

Neste mês de Janeiro, quando se celebra o Centenário do Governo de José Relvas (27/01/1919 – 30/03/1919) damos a conhecer mais uma peça da colecção da Casa dos Patudos: uma fotografia de José Relvas.

.

A fotografia foi tirada pelo seu pai, Carlos Relvas, no seu estúdio fotográfico, na Golegã. Esta encontra-se num local emblemático da Casa dos Patudos, no Salão Nobre, em cima do piano de Carlos de Loureiro Relvas, seu filho, que se suicidou aos 35 anos de idade, no dia 14 de Dezembro de 1919, assinalando-se este ano também cem anos.

.

José Relvas nasceu na Golegã, no dia 05 de Março, de 1858 e faleceu em Alpiarça, em 31 de Outubro de 1929. Viveu na Quinta dos Patudos desde os finais do século XIX até à sua morte. Político, diplomata, estadista, agricultor, coleccionador, amante da arte, músico amador e sobretudo um homem de gosto apurado e ecléctico.

.

Dos vários cargos políticos que teve destacamos o de Chefe do Governo. Em 1919, durante um período de grande instabilidade política foi Primeiro Ministro e Ministro do Interior.

.

O Directório do Partido Democrático, perante esta instabilidade política exigia um governo de concentração republicana. Para a tarefa de dirigir o novo executivo, nada melhor que um republicano histórico: José Relvas.

.

A escolha recaiu sobre José Relvas porque era um político moderado, mas também pelo seu estatuto, pela independência, pelo republicanismo firme e também pelo seu espírito conciliador (no seu Governo estavam representados todos os partidos da República). Estas características faziam de Relvas a personalidade que melhor se adequava à liderança política no contexto histórico pós-sidonista.

.

Os objectivos do Governo de Relvas centravam-se na defesa das instituições e na normalização de todas as actividades perturbadas pelos contrarrevolucionários. O Presidente do Ministério sabia que a recomposição política do regime exigia uma disciplinada e ordenada distribuição dos cargos públicos.

Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça