Saltar para o conteúdo principal

Peça do Mês de Julho de 2022

 

Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça
Peça do mês – Julho

Tejo junto à praia do Alfaiate (O lugar do Alfeite)
Óleo sobre madeira
António Ramalho

1880

48 cm X 70 cm
CP – MA
Inv. Nº 84.726

 


No mês de julho apresentamos uma obra do pintor António Ramalho, O lugar do Alfeite. O artista, nasceu em 1858, em Barqueiros (Mesão Frio), no seio de uma família pobre. Muito jovem vai para o Porto, onde trabalha numa marcenaria, aproveitando os tempos livres para se dedicar à pintura, foi discípulo do pintor naturalista Silva Porto, na Academia de Belas Artes de Lisboa. Em 1881 é membro fundador das exposições do Grupo do Leão e em 1882 o Marquês da Praia e Monforte concede-lhe uma bolsa de estudo em Paris, durante dois anos.
A sua obra caracteriza-se por quadros de temática realista, onde abundam as paisagens marítimas e os retratos de mulheres e crianças.
Está representado em vários museus, mas também no Palácio Soto-Maior, na Figueira da Foz, nos tetos do Teatro Garcia da Orta, em Évora e na abóboda do Palácio da Bolsa, no Porto. Faleceu subitamente na Figueira da Foz, em 1916, com 58 anos.
A obra em destaque é precisamente uma marinha, pinta-a com apenas 22 anos de idade, representa o tejo com os barcos dirigidos para a praia do Alfeite. Ao fundo e à esquerda casas do lugar do Alfeite, no monte.
No areal duas casas de madeira pintadas uma de azul e a outra de encarnado.
A moldura é em madeira e gesso dourado e trabalhada. Salientando-se um friso de pérolas e outro de folhas de loureiro.
A obra pertenceu à coleção de João Burnay.

 

Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça


 

  

 

voltar ao topo